Antes de marcar um show fora da sua cidade, pergunte-se essas 5 coisas

“Porque vai ser uma aventura” não é a melhor resposta para você dar quando alguém da sua banda perguntar: “Por que a gente precisa rodar 500 km pra fazer um show?

Fazer turnê tem um custo.

É o tempo que você gasta dirigindo, quando poderia estar gravando. É a grana da gasolina, que poderia ser gasta em divulgação. Então você tem de fazer valer cada show fora da cidade. Não, isso não significa que você deva evitar qualquer risco e se aventurar de vez em quando. Nem que você deve evitar marcar shows, se não tiver a certeza de que eles lotarão. Mas vale a pena você se perguntar um pouco antes de sair se jogando.

Na hora de avaliar cada uma das oportunidades, sempre leve em conta essas cinco perguntas. Se você responder mais sins do que nãos, pode correr atrás desse show.

Eu vou voltar para lá daqui a 3 ou 6 meses?

Não há muito sentido em aceitar o show, se não for para voltar e aproveitar no futuro a comoção que você vai causar com ele. Mesmo que só tenha 10 dez pessoas na plateia, o objetivo é que esse número cresça para 11, 50 ou 100 na sua própria visita. Mas isso não vai acontecer se você demorar um ano, mais do que isso (ou uma eternidade) para passar por essa cidade de novo. Então, se há um “mercado” ali que você quer conquistar com frequência, aceite o show.

Tem algum artista local que possa abrir o seu show?

Se você não tem (muitos) fãs nessa cidade, bandas locais podem salvar o seu dia e conseguir lotar o salão. E, se as músicas de vocês combinarem, os fãs deles vão virar fãs seus também. As coisas podem ser bravas, se você estiver sozinho na turnê, ou com outro artista de fora da cidade. O que nos leva a…

Eu tenho fãs lá?

Você já tocou lá e arrastou uma multidão para o show? Você tem inscritos no seu mailing que moram por ali? Você tem seguidores nas redes sociais que moram por lá? Você conferiu os relatórios de tendências do seu Spotify e Apple Music (ou, quando em turnê internacional), seu Google Analytics ou os dados de venda e de contabilidade da CD Baby, para conferir o desempenho do seu som nessa região? Se a resposta for não, isso não quer dizer que você deve evitar essa cidade (você tem de começar em algum lugar), mas a resposta penderá para o sim se essas perguntas forem respondidas positivamente.

É uma oportunidade de relações públicas?

Uma vez eu dirigi de Portland, Oregon, até Los Angeles em uma só tacada com uma banda de seis pessoas, para tocar numa biboca de um bar, só porque meu relações públicas tinha conseguido que um crítico do jornal LA Times estivesse lá. Sim, a gente fez mais shows no nosso caminho de volta, mas ainda assim é uma rota HORRÍVEL para fazer turnê. Mas eu acabei sentindo que valeu a pena, já que rendeu duas matérias no jornal, uma sobre o show e outra resenhando nosso álbum. Talvez o retorno com o show não seja grande, mas se for conseguir chamar a atenção de uma rádio local, da imprensa ou de blogs, pode ser um bom relacionamento para começar.

Eu posso bancar?

Existe um jeito melhor de gastar seu tempo e seu dinheiro? Você vai ter de tirar um dia ou dois de folga para fazer esse show rolar? Você tem férias para tirar? É difícil dizer o que vale a pena quando o assunto é fazer música, especialmente com shows: às vezes uma apresentação com cinco pessoas na plateia LEVA a mais oportunidades do que uma casa cheia, se você impressionar as pessoas certas. MAS… isso não significa que valha a pena aceitar todo e qualquer show. Dinheiro e tempo são, é claro, são recursos limitados —  então cuidado com como vai gastá-los.