6 dicas sobre o que você deve fazer antes de terminar a gravação do seu álbum

Veja estas 6 dicas valiosas sobre o que fazer antes de deixar o estúdio de gravação!

6 dicas sobre o que você deve fazer antes de terminar a gravação do seu álbum

Por Greg Majewski

Não saia do estúdio antes de seguir estas dicas

Você terminou de gravar sua música nova. Está contente com as faixas instrumentais, fez a mixagem de tudo e já decidiu qual vai ser a masterização definitiva. Parabéns!

Mas, antes de você considerar seu trabalho pronto e partir para a distribuição do seu som para as plataformas de streaming, tem algumas coisas que você pode (e deve!) fazer para garantir que o seu próximo som seja ainda melhor!

Então, antes de encerrar seu tempo no estúdio, eis seis dicas de coisas que você deveria fazer:

  1. Salve versões instrumentais da faixa

Aproveite que você está frente a frente com todas as faixas que compõem sua música, e que a mixagem está pronta, e salve versões instrumentais da música. Ainda bem que essa tarefa é bem fácil. É só tirar as faixas dos vocais do seu mix, e pronto!

Um mix instrumental vai ser uma versão mais interessante da sua música para diretores de trilha sonora usarem em meios como TV e no cinema. Ter essas versões diferentes vai permitir que o diretor ou diretora de trilha sonora use um pouco da faixa com vocal, um pouco com instrumental, ou só instrumental, se achar que os vocais podem roubar a atenção dos diálogos do programa ou do filme.

2. Faça versões em Stem para serem usadas em remixes

Stem tracks são versões da sua música em estéreo, geralmente com quatro canais, que junta instrumentos parecidos na mesma faixa.

É uma praxe do mercado fonográfico ter essas versões da faixa. Um exemplo típico de uma faixa de rock seria: o riff principal, o gancho do refrão, o baixo, a bateria e a percussão. Ou, para sua música ser usada numa faixa eletrônica, a divisão poderia ser: o gancho vocal, os sintetizadores, o baixo quando é solto, o beat, e as batidas

Esse agrupamento em faixas individuais vai ajudar os DJs na hora de remixar sua música. Um remix pode trazer mais atenção para a música original, e te permitir alcançar um novo público, além do seu círculo já estabelecido de fãs.

3. Experimente mixagens alternativas

Brinque um pouco com a mixagem da sua música. Talvez tirar algumas faixas de sonoridade mais complexa, e deixar uma versão mais crua. Ou, se você for usar a participação especial de outro artista no refrão, colocar outros trechos da contribuição que ele propôs para a música, mas que não entraram na versão final.

Mixagens alternativas são ótimas para lançamentos maiores, como um EP, ou para você lançar depois do seu single principal, para manter o interesse por você vivo nas plataformas de streaming.

4. Mande fazer (pelo menos) duas gravações master

Sim, o formato de praxe para gravações master de áudio ainda é de 16-bit e 44.1 khz. Mas um número cada vez maior de plataformas passou a aceitar masters em áudio de alta resolução.

Antes de você terminar a gravação da sua master, peça ao engenheiro ou à engenheira de som que faça também uma versão de 24-bit e 88 khz, como uma alternativa para o público mais ligado em qualidade de som. Seus fãs nerds do stereo, que têm equipamentos de som de ponta, vão te agradecer por isso. (Eu, que nem chego a ser o maior audiófilo do mundo, posso garantir que ver o símbolo “HR”, de high resolution, ou alta resolução, do lado de uma música, é muito massa!).

5. Você vai precisar de uma versão sem transições

Se você gravou um álbum todo, e não só uma faixa, vai precisar colocar transições sonoras entre as músicas, para que a experiência auditiva fique mais suave. Mas, e se você quiser lançar umas canções no formato de single? Um trecho que une essa música à anterior pode ficar esquisito se a música for tirada do contexto do álbum. Faça também versões das suas músicas que possam ser lançadas sem transições, como singles. Assim, as músicas vão fazer sentido sozinhas também.

6. Não se esqueça dos seus contratos de divisões de direitos!

Se você escreveu a música com outras pessoas, já faça um contrato de divisão de direitos autorais, assim que possível. Assim, a divisão de quem é dono de que pedaço da música já fica clara desde o começo. É melhor que todos os envolvidos assinem isso logo na gravação, porque depois pode virar um problemão.

Se você pensa em começar a produzir e finalizar suas músicas em casa, veja nosso artigo sobre  como montar seu próprio home studio.

Você reinventa o seu som? Deixe o seu comentário abaixo!

Comente

Seus email não será publicado.